sábado, 26 de março de 2011

SAÍ SEMI NUA A NOITE E VOLTEI NUAZINHA

Meu nome é Joana e estou com casada e com 28 anos e estou escrevendo para contar como foi a realização de uma grande fantasia que eu tinha desde meus quinze anos e que consegui realizar a três meses atrás e de uma maneira melhor do que o imaginado e sem que meu marido desconfiasse de absolutamente nada, pois ele é muito conservador.
Primeiramente vou explicar minha fantasia que se consistia em dar uma volta a pé, durante a noite, semi nua pelas ruas desertas de minha cidade que fica no interior de São Paulo, me fazendo passar por uma mulher bem vagabunda e desta maneira achava que não despertaria muito interesse.
Tudo começou a dar certo quando tomei a devida coragem e meu marido foi viajar a negócios durante 15 dias e eu estaria sozinha, e preparei tudo; comprei um top tomara que caia branco sem forro e um shortinho de malha igual ao de um pijama bem fininho e emprestei uma peruca loura de uma amiga alegando que minha sobrinha a usaria em uma peça de teatro.
Chegado o grande dia meu marido acordou cedo e foi viajar e eu aproveitei para tirar o dia somente para relaxar e dormir, pois a noite iria ser muito interessante e talvez um pouco cansativa.
Finalzinho de tarde comecei a me aprontar colocando o top e como não tinha forro ficou aparecendo minhas aréolas pois são bem escuras e o shorts que deixou uma marca escura na frente devido aos meus pelos e também coloquei a peruca tomando o cuidado de prender bem pois não queria que ela saísse de jeito nenhum e depois de tudo coloquei um vestido bem largo e velho por cima a fim de poder chegar bem tranquila até o meu destino.
Tomei coragem e sai em uma hora que não havia quase ninguém na minha rua e corri para o ponto de ônibus a caminho de um bairro meio deserto, mas que neste dia estaria repleto de carros, pois estava acontecendo uma feira em um barracão ali próximo e que caso aparecesse alguém eu me esconderia atrás dos carros.
Chegando lá caminhei para o local mas deserto e tratei de tirar o vestido ficando somente com o top e short e começar minha fantasia, então decidi que iria daquele local até minha casa e no meio do caminho iria pedir um cigarro ou perguntar as horas para alguém a fim de ver suas reações.
Mal comecei minha caminhada passou um ônibus cheio de homens, e começaram a me elogiar e pedir para um entrar no ônibus, então saí correndo de medo, e quando virei a esquina dei de cara com dois garotos muito bem vestidos e que deveriam ter no máximo 15 anos eles ficaram de boca aberta ao me ver semi nua, então resolvi me aproveitar da situação e comecei a provocar os dois perguntando se eram virgens, se me achavam bonita e outras coisas, quando eles responderam serem virgens não sei o que me deu, pois senti um tesão nunca sentido antes com meu marido e perguntei se eles não queriam me ver nua e dar uma chupada em mim.
Como eles concordaram nos encaminhamos para uma construção que havia ali próximo e quando lá cheguei tratei de pedir para eles tirarem a roupa primeiro, pois queria ver seus pintinhos que já estavam bem durinhos e daí foi minha vez, e comecei tirando meu top e deixando eles tocarem meus peitos e o mais atrevido já foi logo metendo a boca e dando uma gostosa mamada.
Embora fossem bem novinhos decidi tirar a virgindade daqueles dois, pois eles estavam me deixando louca, então me virei e comecei a rebolar bem devagar a fim de fazer um suspense até tirar meu shortinho e quando terminei e virei de frente para eles começaram a rir e se masturbar e não tomavam nenhuma iniciativa, então me abaixei e começei a acariciar seus pintos bem lentamente ora dando uma chupadinha, ora os esfregando em meus peitos e vendo que eles não aguentavam mais tanta tortura abocanhei de vez o pinto do menor até ele gozar e encher minha boca e em seguida o maior já foi enfiando na minha boca afim do mesmo.
Como não podia perder esta oportunidade deitei no chão e pedi para que me chupassem e a princípio eles negaram alegando ser muito nojento então expliquei que somente assim eles fariam suas namoradas felizes e que se chupassem minha buceta ensinaria outros truques para seduzirem as mulheres, e quando achava que não ia conseguir mais nada o menor veio começou a chupar o meu grelinho perguntando se estava bom daquela maneira, pois ele tinha visto isso em um filme e mulher ficava muita excitada, respondi que daquela maneira qualquer mulher enlouqueceria e comecei a gemer com aquele garoto no meio das minhas pernas e em dado momento implorei para que ele me penetrasse e não é que danado levantou-se e pegou uma camisinha que tinha em sua carteira (homem previnido hein) e começou a pincelar em minha xota me deixando louca e quanto mais implorava para ser penetrada mas o danado judiava, então o agarrei pela cintura puxando-o contra mim forçando a penetração e dando um belo grito, e depois começou o vai e vem bem vagarosamente parecendo um homem bem experiente, neste dado momento o outro garoto veio e colocou seu pinto em minha boca fazendo eu ficar bem ocupada.
Logo em seguida o garoto não aguentou mais e gozou na minha buceta e em seguida o outro gozou na minha boca novamente, então sugeri que eles trocassem de posição, mas como não tinha mais camisinha, acharam melhor não e começaram a se trocar alegando para eu ficar alí, pois iriam na farmácia comprar mas e já retornariam, sendo prontamente eu aceitei.
Após 20 minutos não tinha mas nem sinal deles e resolvi não esperar mais, porque não queria chegar tão tarde em casa, e quando fui me vestir para ir embora tive a desagradável surpresa de não encontrar minhas poucas roupas.
Fiquei apavorada, porque não poderia ligar para ninguém e estava a mais ou menos 30 minutos de casa, e para minha alegria começou e chover bem forte e decidi que iria aproveitar esta hora para partir.
Quando saí topei com um grupo de rapazes que haviam saído da feira e estavam vindo nesta direção e ao me verem nuazinha começaram a agarrar meus seios e minha bunda e já me chamando de vagabunda me arrastaram para a construção novamente e começaram a tirar seus pintos fora das calças avisando que a noite só iria começar e logo fui obrigada a me abaixar a começar a chupar aquele monte de pintos de tudo que é tamanho e cor e haviam uns danados já enfiando o dedo no meu cuzinho virgem e comecei a ficar apavorada pois até então só tinha feito sexo vaginal e oral com meu marido e com os dois garotos anteriormente e teria que encarar aquele monte de homens; então tive uma grande idéia e parei de chupá-los e levantei-me pedindo para eles esperarem um momento pois iria no outro comodo me preparar de uma maneira muita mas sensual e voltaria para dar um trato bem gostoso em todos.
Como eles concordaram me dirigi para o andar de cima, pois era a construção de um sobrado e eles achavam que não tinha como eu fugir e que eu estava falando a verdade, então quando cheguei lá em cima pulei em monte de areia que havia nos fundos e saí nuazinha pelas ruas me escondendo atrás dos carros para fugir daqueles garotos e de outros que poderiam me ver naquele estado.
Devido a forte chuva consegui chegar bem até perto de casa, embora alguns caminhoneiros e mesmos motoristas e até algumas pedestres tinham me visto nua até mexeram comigo, mas o pior estava por vir, pois devido estar próximo de casa alguém poderia me reconhecer e não é que quando estou atrás de um carro esperando a oportunidade para atravessar a rua fui agarrada por trás e quando olhei notei ser o novo guardinha da minha rua então estremeci, pois achei que ele tinha me reconhecido, mas devido ao seu pouco tempo de serviço e graças a minha forte maquiagem e minha peruca ele não reconheceu, e começou a me alisar perguntando por que eu estava toda nua e se eu não queria um abraço para esquentar e outras coisitas mais e como não adiantaria correr, pois ele veria eu entrar em casa e descobriria meu segredo, e sem ter outra escolha entrei no seu jogo e ficamos alí atrás daquele carro na sombra de uma árvore e começamos a nos beijar e depois ele foi descendo para meu pescoço e peitinhos dando aquela mamada gostosa deixando até uma marca roxa, dái comecei a tirar sua calça e quando vi aquele pinto maior que o do meu marido comecei a fazer um boquete bem quentinho indo da cabeça até o talo e chupado também as bolas do saco e quando vi que ele estava prestes a gozar parei e pedi para ele fazer o mesmo por mim, e sem demora ele me colocou apoiada no capô de um carro com bunda para cima e começou a me chupar por trás daí no aguentei por muito tempo, pois estava nua no meio da rua, debaixo de chuva, transando com um homem estranho e olhando para minha casa, onde meu marido fazia tudo por mim e numa mistura de remorso e tesão cheguei ao orgasmo mais gostoso de minha vida.
Neste dado momento o guardinha aproveitou a molhadeira e meteu sua pica de uma só vez sem encontrar nenhuma resistência e começou um vai e vem maravilhoso fazendo eu rebolar na cabeça de sua pica.
Mas como tudo o que é bom dura pouco começou um grande barulho vindo de uma batida em um rua próxima e ele teve que interromper a sessão para investigar e novamente o pânico tomou conta de mim, pois o vizinhos certamente iriam sair na rua e me ver nua, então fui obrigada a deitar-me no chão em baixo de uma camionete que estava na outra esquina e ficar ali naquele chão frio sendo molhada pela enxurrada e esperando todo mundo retornar para suas casas.
Depois de 40 minutos todo mundo começou a retornar pois a chuva estava aumentando e frio também e quando resolvi sair para verificar a área notei o guardinha vindo com meus dois vizinhos e pararam bem ao lado do carro, pois devido a grande arvore que havia alí a chuva não os atingiam com muita força e notei que falavam de uma mulher e aí percebi que falavam de sua vizinha que era eu e que me achavam um tesão e que se eles fossem meus maridos jamais viajariam me deixando sozinha e de suas fantasias comigo, então comecei a me masturbar por ouvir aquelas histórias e também porque a enxurrada batia em xota fazendo meu tesão aumentar e tive mais um orgasmo ali em baixo do carro e tive que morder eu dedo para não gritar.
Após este orgasmo comecei a bolar um jeito de sair dalí, pois poderia pegar uma pneumonia e felizmente neste momento como que por um passe de mágica a luz da rua se apagou e eles decidiram entrar e o guarda saiu desesperado a minha procura e aproveitando a escuridão da rua, saí desesperada em direção a minha casa e quando coloquei a mão no portão a luz começou a voltar mas como já tinha deixado o portão propositalmente sem tranca rapidamente entrei e consegui não ser reconhecida por ninguém.
Nos dias que se sucederam mau saí de casa aproveitando para deixar aquela marca roxa de meu peito sumir para meu marido não suspeitar de nada e não ter que encontar com aquele guardinha pois ele talvez poderia suspeitar de algo.

2 comentários:

  1. Se tudo isso for verdade, você é bastante putinha e merece um marido que a divida com outros machos. Fico imaginando o dia que minha esposa vai chegar em casa com o cuzinho bem arreganhadinho de um cacete de outro macho, pois, dá muita tesão e ela senta em minha pica com muito mais vontade. Convença o seu marido a dividir você com outros machos, ou pelos fazer como minha mulher faz, que é andar no carro sem calcinha e mostrando a bucetinha e os peitinhos para outros motoristas, ou, na praia, andar nua ou com o biquini minúsculo ebterrado no rabinho.

    ResponderExcluir
  2. Para apimentar o tesão, já mandei minha mulher para a faculdade com um micro vestido, meio transparente, mostrando suas curvas, e que curvas, e fiquei imaginando um monte de machos de olho nas pernas e nos peitinhos dela. E não é que a safada gostou da idéia e até deixou um macho passar as mãos nela. Ela ficou uma fera na cama e gozou como uma potranca.

    ResponderExcluir